sexta-feira, 13 de abril de 2012

ARMAS I

Partilhar
Resolvi escrever sobre esse tema inerente a atividade do policial militar. Vejo muitos falarem das armas, calibres, sobre qual desejam comprar para uso pessoal e outras discussões em torno. Será que se pensa primeiro na necessidade e segurança, ou no poder que a arma "ilusoriamente" dá?? [Penso muito sobre isso]. Nessa postagem falarei do uso na profissão e em outra postagem posteriormente sobre o uso pessoal.


#ARMAS NO EXERCÍCIO DA FUNÇÃO#

       Sabemos da essencialidade do armamento, fornecida pela corporação (a pistola usada tem sido a . 40) sendo o material(armas, carregadores, coletes, e etc) devolvido no final do serviço, sendo tudo numerado e controlado. Não estamos mais (graças) nos tempos do "coronelismo", disparar arma é passível de punição... matar a toa então, Direitos Humanos bate na porta.
      A atividade expõe o policial ao risco, a arma é usada para impor respeito, e para usá-la  se necessário para defender a população ou a si mesmo. Um tiro certeiro pode matar o sequestrador, o ladrão, o bandido, o traficante... Mas pode também acertar crianças, pais e mães de família, jovens estudantes, pessoas honestas, trabalhadores, sonhadores... a RESPONSABILIDADE é grande e muitos pensam primeiro em tê-las nas mãos, sem sequer refletir sobre a responsabilidade necessária para manuseá-las.


      UM TIRO MATA, (ou não, mas normalmente deixa sequelas)... O que é divulgado na mídia é mínimo, diante do número de acidentes que ocorrem diariamente com o uso dessa ferramenta, por vezes mesmo policiais antigos e experientes erram, e o erro por vezes é fatal... Quando cai na mídia a sociedade não admite, nem o governo, nem o comando... nem a justiça*! Muitos se complicam, principalmente nos primeiros anos de carreira, pela vibração e emoção... Que faz com que pensem pouco e desejem apertar o dedo, (dialogar pouco e ir logo descendo a mão). 
 (*no mínimo um processo desgastante corre).

Vou citar como exemplo duas "DIFERENTES" tragédias em serviço:
1. Um mais recente ocorreu em um interior da Bahia, uma Soldado de 24 anos e 4 de profissão, foi atingida acidentalmente pelo colega em serviço e veio a óbito.
LINK: 
Correio da Bahia - PFEM de Porções-BA morre com tiro acidental disparado por colega durante o serviço. 

2. Outro caso, que especialmente mexeu comigo, foi o do menino Joel, capoeirista de 10 anos, que seguia a profissão do pai e morava com a família em um dos bairros mais perigosos de Salvador (Nordeste). Foi assassinado quando policiais invadiram a rua, pelo que li na época ele estava com os olhinhos nas brechas da janela de madeira no seu quarto e os policiais dispararam "pensando" ser bandido. Ele embarcaria para Europa em um projeto ligado ao seu trabalho, daria aulas de capoeiras lá fora. Será lançado em breve o filme com a sua “breve” história interrompida fatalmente.
     Ficarei nesses dois exemplos, até porque isso está presente diariamente nas páginas policiais, nos telejornais e não é novidade foi apenas a cunho exemplificativo. Vale salientar que foram duas situações diferentes, onde a arma mal usada culminou em tragédia.

      O PM é responsável por cada tiro disparado e a quem ele atinge (e/ou mata)... Os acidentes podem acontecer, por isso o cuidado deve ser redobrado sempre. Em 2009 um AL-Of disparou acidentalmente em sua mão e na perna de um colega... foi um “furdunço” na Vila e até hoje ele colhe consequências do fato.

    Cada PM representa a Corporação, e muito da generalização que ocorre com a polícia é devido a falta de educação e equilíbrio de alguns profissionais. Para usar a arma, repito, é necessário RESPONSABILIDADE E EQUILÍBRIO.
     Sabemos que errar é humano, mas comparo a atividade policial a do médico nesse momento... Um médico salva várias vidas, o policial também... E ambos, quando cometem um erro e esse vêm a tona, através das denúncias, e se propagam principalmente através dos veículos de comunicação... deixam de ser vistos como os heróis, seus acertos são esquecidos e são crucificados pelos seus erros... Ossos do ofício...! O policial não é o único e exclusivo profissional do qual os erros podem trazer consequências lastimáveis (apesar de por vezes o erro nem vir a tona)... Não entro aqui na questão salarial, nem da desvalorização desse profissional frente ao citado, mas da responsabilidade de LIDAR COM VIDAS.

   
    Sei que os erros ocorrem, acidentes também... Porém é importante estar sempre ALERTA e cuidadoso, algumas coisas podem ser evitadas com um pouquinho mais de atenção. LEMBRANDO QUE ARMA MATA...  e ela não discrimina inocentes ou bandidos, o responsável por ela será VOCÊ!

PENSE NISSO ANTES DE INGRESSAR... 
e espero que não esqueça disso quando em serviço!

2 comentários:

  1. Muitas pessoas ingressam na carreira policial e agem mais pela emoção, agem para depois pensar, e não pensam antes de agir. E assim trazendo varias consequências para si, e piores para a vitima, que na maioria das vezes quando não morre, fica sequelas. Vira e mexe aparece noticias dessa natureza nos meios de comunicações, espero que esse texto venha adentrar nas mentes das pessoas que sonha um dia vestir a briosa farda da PMBA.

    ResponderExcluir
  2. Pois é Nando... É importante ler reflexões a esse respeito... se imaginar em situações e ter noção de que ser PM não é como ser personagem de "filme" onde tudo ocorre perfeitamente e com uma simples pistola o herói elimina vários inimigos que surgem de todos os lados... Na vida real a parada é bem diferente...! Devemos ter noção disso, saber que ARMA não é brinquedo e pensar muito na RESPONSABILIDADE do seu USO! Muitos acham que por portar uma arma são IMUNES...!

    ResponderExcluir